Personagem: Virginia Revel

Virginia Revel é a viúva de um grande diplomata. Todos que a conhecem sabem que ela foi a responsável pelo sucesso do marido. Mas agora ela está sozinha, com o dinheiro que ela herdou da própria família, ainda jovem e bonita.

Bill, que trabalha como secretário de um político inglês, vive pedindo para se casar com ela, mas Virginia diz que só se casaria com ele caso estivesse sendo torturada por um maligno chefão da máfia chinesa – e ela faz isso se parecer com um elogio.

Quando ela recebe um visitante inesperado que revela ser um chantagista, Virginia a princípio pensa em negar tudo – afinal, ela jamais tivera um amante para quem enviara cartas indiscretas, e seu estado de viuvez faz a ameaça do chantageador de mostrar as cartas comprometedoras ao Mr. Revel algo bem estúpido.
Movida pela solidariedade feminina, pensando que, ao recuperar as cartas, ela pode estar fazendo um favor à verdadeira autora, que parece realmente desesperada para que o marido não a descubra, Virginia resolve ir na do chantageador pra ver onde tudo aquilo vai parar.

Só que quando ela encontra o chantageador morto na sua sala com um tiro, e uma pistola jogada no chão com o nome Virginia Revel gravado nela, ela fica sem saber para onde se virar.
Bill está viajando, e outros homens que ela conhece são todos importantes demais para se arriscarem a ajudá-la com algo tão complicado como assassinato.

É aí que entra Anthony Cade, que paga de desempregado pedindo dinheiro na porta e acaba com uma proposta irrecusável de se livrar de um corpo indesejado.

Virginia é minha favorita porque ela é linda, independente, imaginativa e pouco interessada em ser dominada pelos homens. Eu gosto dela porque ela tem bom humor, é inteligente e cheia de estilo.
A Agatha Christie até que é boa em criar personagens homens que nos fazem suspirar – até mesmo assassinos seriais dela já chegaram a ter essa característica.
Mas a única mulher que ela inventou e que eu queria ser pra sempre é a Virginia.

Quem: Virginia Revel
Onde: O Segredo de Chimneys
De: Agatha Christie

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *