Livro: The Second Confession

Nero_Wolfe_Gordon800_fs

77619

O milionário James U. Sperling não quer que sua filha mais nova Gwenn se case com um mané. Louis Rony, o jovem em questão, não é lá flor que se cheire, mas Sperling tem um argumento infalível para convencer Gwenn, que é o de que Rony é um comunista. Sperling contratou uma agência de detetives para descobrir provas, sem sucesso, e agora quer que “o melhor cérebro de Nova York”, Nero Wolfe, faça o trabalho.

Wolfe logo deixa claro que não vai conseguir provas de que o cara é comunista se ele de fato não for, e combina com Sperling que o que ele vai tentar fazer é conseguir que Gwenn desista de se casar com Rony. Portanto, nada mais óbvio do que enviar o assistente de Wolfe, o bonitão Archie Goodwin, para a casa de campo de Sperling para “começar uma conversa” com Gwenn e “substituir o Sr. Rony nas afeições” da garota. Archie protesta, sem muito entusiasmo, até porque ser empregado para tentar conquistar a filha de um milionário numa mansão de campo tem seus atrativos óbvios.

A única nuvem escura no fim de semana de Archie é que ele sabe que Louis Rony pode ser um dos agentes de Arnold Zeck, o chefão do crime organizado e pior inimigo de Wolfe, pelo que estava nos relatórios da agência anteriormente contratada por Sperling. O outro problema que logo se apresenta é que Archie se envolve com a filha errada dos Sperling, a mais velha, Madeline. E, apesar de ter conseguido descobrir que Rony andava com uma carteira do partido comunista escondida, Archie também toma um calmante por engano e passa o domingo com cara de ressaca, irritadíssimo pelo acontecido – e sem conseguir descobrir quem drogou o drinque.

Chegando de volta a Nova York, Wolfe conta a Archie que recebeu uma ligação de Zeck falando para que eles se retirassem do caso Rony ou sofreriam as consequências. E alguns minutos depois, metralhadoras no prédio da frente destroem toda a estufa de Wolfe com dez mil orquídeas.

Agora Wolfe e Archie estão numa situação bem séria: o mega vilão com recursos infinitos Zeck de um lado, o milionário irritado Sperling do outro, um possível comunista, e logo depois um assassinato que acontece pra complicar as coisas.

Nero Wolfe está em grande forma nesse livro inteligente e engraçado como só as narrativas de Archie conseguem ser. Se o tal comunismo parece besteira para um leitor moderno, vale lembrar que o livro foi escrito durante a guerra fria e que o partido comunista recebia ordens diretas do Kremlin, e aí dá pra se ter uma idéia do tamanho do problema. Um livro para nenhum fã de policiais botar defeito, e um dos melhores da série.

The Second Confession (1949) de Rex Stout
Série Nero Wolfe Livro 15

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *