Livro: The Daughter of Time

Durante uma perseguição a um bandido, o Inspetor Grant quebra a perna e agora está de cama no hospital, completamente entediado.
Sabendo do seu gosto pelo estudo de rostos, sua amiga Martha aparece com várias imagens de personagens históricos relacionados a algum tipo de mistério.
Olhando uma das fotos, Grant chega à conclusão de que aquele homem teria sido um sofredor, responsável e maduro. E se surpreende ao virar a figura e ver que é um retrato de ninguém menos do que Ricardo III, o maior monstro de todos os monarcas da Inglaterra.

Irritado por ter confundido tanto assim o rosto de um notório assassino, Grant decide, com a ajuda do jovem estudante Carradine, investigar a história dos assassinatos que Ricardo teria cometido. E chega a resultados surpreendentes.

Indepentendemente de ser uma narrativa ágil e divertida, mesmo se referindo a coisas que aconteceram há mais de 400 anos, o livro me é interessante justamente por causa do tema: Ricardo III é de uma das épocas mais legais da história da Inglaterra – ele foi o último rei da Guerra das Rosas, “dois” antes da Elisabeth – na verdade foi bem mais complicado do que isso, mas foi mais ou menos assim, vai: Ricardo III, Henrique VII, Henrique VIII, gentalha e Elisabeth – além de ser um dos reis mais legais de todos os tempos.

O livro vale muito a pena.

Título original: The Daughter of Time (1951)
De Josephine Tey – Elizabeth Mackintosh (Reino Unido)
Quarto livro com o Inspetor Grant

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *