Livro: O Mistério do Trem Azul

Um dos primeiros livros da Agatha Christie, onde um grupo de pessoas relacionadas viaja pelo mesmo trem – e uma trama de roubo de jóias e assassinato é revelada, contando com as habilidades do detetive Hercule Poirot para levar o assassino à justiça.

Esse livro segue uma série de pontos de vista diferentes de pessoas que se unem numa única viagem do Trem Azul – que faz um percurso em direção à Riviera francesa.
De início o leitor é apresentado a vários personagens sem muita importância e a um misterioso Monsieur Le Marquis, que usa uma peruca branca e está ligado ao tráfico de jóias.

Depois vemos cartas fofoquentas e insinuosas à uma delicada Miss Grey, que, após cuidar de uma senhora rica por anos, recebe a fortuna da velha em herança e agora planeja curtir a vida. Uma das cartas que recebe é de uma prima muito distante, que Miss Grey tem certeza de que nunca entraria em contato com ela antes de ela ser rica, convidando-a para uma temporada na Riviera. Sabendo que a prima só quer saber do seu dinheiro, Miss Grey resolve ir mesmo assim, já que raramente teve oportunidade antes de deixar a Inglaterra. Podendo esbanjar pela primeira vez na vida, ela compra uma passagem no famoso Trem Azul.

No mesmo trem vai a Honorável Mrs. Ruth Kettering, (née Ruth Van Aldin) filha do milionário Rufus Van Aldin – que tem um casamento infeliz e um rubi que ganhou do pai. O marido dela, Derek Kettering, é um nobre falido, que não faz segredo dos inúmeros casos que tem com outras mulheres. O milionário Van Aldin está de saco cheio de ver a filha sendo humilhada pelo marido na alta sociedade e decide que vai forçar os dois a um divórcio.
Derek, que não pode bancar suas próprias dívidas e vive do dinheiro da esposa, compra de última hora uma passagem no Trem Azul para tentar convencê-la a não se divorciar dele.

Quando Ruth é encontrada assassinada na sua cabine do trem, Van Aldin contrata o famoso detetive Hercule Poirot para descobrir quem a matou. O principal suspeito é logicamente o marido, mas o sumiço do rubi também é muito sugestivo – já que o Comte de La Roche, um famoso galã conhecido por roubar jóias de mulheres ricas, também é suspeito de ter tido um caso com Ruth.
Por outro lado, a amante de Derek é outra que estava por ali de butuca e poderia ter sido responsável.

Miss Grey chama a atenção de Poirot não só por sua beleza simples mas também por sua inteligência e bom senso, e ele logo se preocupa ao ver que ela está sendo foco das atenções não só de Derek Kettering como também do secretário do milionário Van Aldin, Knighton, que pode ou não estar envolvido na história.

Esse é um dos livros bem confusos da Agatha Christie. Ela muda de ponto de vista toda hora, Poirot só entra em cena bem depois do início do livro, os personagens mudam de acordo com quem está contando a história e Miss Grey, que em muitos momentos é a personagem com o ponto de vista, é uma ostra: nunca se sabe o que ela está pensando e ela fala muito pouco.

Mesmo assim, o mistério é bem pensado e bem construído, e os bons personagens – Derek, Val Aldin, as primas de Miss Grey – não deixam o livro ficar no tédio. Miss Grey poderia ser uma protagonista menos séria e quieta, mas não se pode ter uma Virginia Revel em cada livro.

Bastante satisfatório.

Título Original: The Mystery of the Blue Train (1929)
De Agatha Christie (Reino Unido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *