Livro: Not a Penny More, Not a Penny Less

Nesse livro, quatro rapazes são vítimas de um golpe e perdem todo o seu dinheiro. Um deles, o professor de universidade Stephen, descobre quem foi o responsável: Harvey Metcalfe, um milionário desonesto que fez fortuna através de golpes na bolsa de valores.
Stephen contata outros três infelizes que sofreram o mesmo golpe e agora estão na pior e propõe que eles criem planos para tirar de Harvey todo o dinheiro que ele tirou deles, com juros, multa e despesas inclusos: nem um centavo a mais, nem um centavo a menos (tradução do título).

Os outros três rapazes concordam, até porque o dinheiro que investiram na firma fantasma de Metcalfe era tudo o que tinham. O Dr. Robin Oakley corre o risco de perder seu consultório. O francês Jean-Pierre Lammans tem sua própria galeria de arte e precisa do dinheiro para se manter. E lorde James Brigsley, que apesar de ser nobreza hipotecou a propriedade da família para investir na bolsa, agora corre o risco de sofrer a ira e deserção do pai.

Os quatro precisam criar planos para conseguir arrancar dinheiro de Metcalfe, sem ele saber o que aconteceu, e durante o mês que o americano vai passar de férias na Europa.

Eu só fui atrás desse livro por causa do desafio literário que eu entrei no início do ano mas já desisti. Eu já tinha ouvido falar do autor, mas não conhecia nada do estilo dele e nem se era algo que iria me agradar ou não.

E que surpresa!
Desde o início que o livro me segurou e eu não conseguia largar. A personalidade tanto dos quatro lesados quanto do milionário Metcalfe é descrita em detalhes – afinal, os golpistas agora precisam saber tudo sobre sua futura vítima – e o autor consegue manter a trama num ritmo impecável.

O fato do livro se passar na década de 70 faz com que a trama fique ainda mais complexa por um lado, pela falta de tecnologia que ajude, e mais simples por outro, já que a ausência de informações enciclopédicas na internet sobre qualquer pessoa impediriam pelo menos um dos golpes do pessoal de ter sucesso.

As reviravoltas perto do final são muito bem pensadas, e a amizade que os quatro jovens vão criando entre si rende as melhores piadas do livro.
No fim, o que mais me agradou mesmo foi a parte engraçada do livro, que dá leveza à uma trama que poderia ter se tornado pesada nas mãos de outro autor.
O livro é, portanto, um excelente entretenimento, digno dos melhores filmes de heist de Hollywood. Fizeram, inclusive, uma adaptação para a TV, que quero checar logo mais.

Título original: Not a Penny More, Not a Penny Less (1976)
de Jeffrey Archer (Reino Unido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *