Livro: Morte na Praia

Durante suas férias, o detetive belga Poirot resolve aproveitar a praia e fica num charmoso hotel que fica numa ilha na parte mais badalada do litoral britânico. A ilha é propriedade particular, e durante a maré alta os hóspedes não têm como se comunicar com o continente, já que o único acesso fica bloqueado pela água.

Outros hóspedes se divertem por ali, como o típico coronel indiano, os jovens recém-casados e o casal americano de meia idade.
Rosamund Darnley é uma famosa estilista que está descansando da sua agitada temporada em Londres quando, no hotel, reencontra Kenneth Marshall, um velho amigo de infância, hoje casado com Arlena, uma mulher frívola e promíscua.

Claro que, como sempre acontece magicamente toda vez que Poirot resolve passear, o conflito logo ocorre, seguido de uma misteriosa morte.

Os jovens recém-casados parecem estar em crise por causa de Arlena: a mulher fatal aparentemente fisgou o atlético Patrick, enquanto Christine, sua frágil e apagada esposa, nada pode fazer para evitar tal desastre.
Enquanto isso, a filha adolescente de Kenneth, Linda, luta com o ódio que sente pela madrasta.

Quando Arlena é encontrada morta em uma praia deserta do outro lado da ilha, as suspeitas recaem primeiramente sobre o marido que poderia tê-la liquidado devido a ciúmes. Rosamund, no entanto, deixa tal hipótese fora da lista da polícia quando afirma que o viu datilografando em seu quarto no momento em que a morte ocorreu.

Patrick, por sua vez, assumiu culpa no cartório ao dizer que havia se envolvido com Arlena, mas negou ter combinado de se encontrar com ela na prainha deserta. Realmente, todos o viram no hotel durante a manhã inteira, até o momento em que ele saiu de barco com a solteirona atlética Emily Brewster. A Srta. Brewster está com Patrick quando ambos encontram o corpo morto de Arlena na praia.

A polícia não sabe onde mais procurar a culpa, a não ser numa improvável gangue de traficantes que talvez usasse a gruta na prainha para esconder heroína. Mas Hercule Poirot, que afinal de contas estava na cena do crime bem antes de tudo acontecer, ainda tem algumas cartas na manga.

Eu gosto muito desse livro. Os personagens são muito bem desenvolvidos, a trama é interessante e a resolução, como sempre, muito bem pensada.
Só teve um probleminha,
Contém spoilers!
A única coisa que me decepcionou um pouco foi o destino de Rosamund. Depois de todo aquele papo de mulher independente e bem sucedida, ela quer mesmo é ser sustentada por um marido rico. Porque não dava pra ela ter os dois? Eu sei, eu sei, na época ou você trabalhava ou você cuidava do seu marido, e a Christie já foi ousada o suficiente pra colocar uma garota bem sucedida profissionalmente entre os personagens. Mas me chateou.
Fim do spoiler.
… e na verdade ele acaba sendo só um detalhe. O livro vale a pena, não percam!

Título original: Evil Under the Sun (1941)
De Agatha Christie (Reino Unido)

Uma ideia sobre “Livro: Morte na Praia

  1. Também gosto muito desse livro, acho que da Agatha foi o que eu mais reli, umas 3 ou 4 vezes, rs… Hoje não posso mais me deleitar com releituras, porque assim como você, compro mais do que leio, embora leia muito, na minha opinião… Obrigada pelo post, certamente voltarei! =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *