Livro: Inocência?

OLHA SÓ, vamos parar com essa idiotice de título com interrogação mas que saco. Grata.

Pra quem não lembra, em Soulless (que teve o LAMENTÁVEL título em português “Alma?”), ficamos conhecendo Alexia Tarabotti, uma moça de temperamento forte, proporções voluptuosas e nariz avantajado que não vê possibilidades de casamento em uma Inglaterra Vitoriana com elementos sobrenaturais não só por não ser padrãozinho como também por ser ‘sem-alma’.

Os ‘sem-alma’ são seres raríssimos que, por não terem alma, são capazes de cancelar habilidades sobrenaturais. Os vampiros e os lobisomens, portanto, ficam de olho em qualquer sem-alma que apareça. Na sociedade inglesa parece que tem só Alexia mesmo depois que o pai dela morreu – um italiano mulherengo que também não tinha alma. No primeiro livro Alexia conhece Lord Maccon, líder da alcatéia de lobisomens da Inglaterra, e apesar de achar ele um brutamontes grosseiro acaba se casando com ele porque né?

Daí no segundo livro ela vai morar no castelo dele, e daí acontece umas treta de gente que tá tentando eliminar os sobrenaturais, e ela vai viajar pra Escócia pra tentar descobrir – e aí o livro acaba com uma revelação bombástica: ALEXIA ESTÁ GRÁVIDA.

Na cabeça dela, faz um certo sentido: ela casou com o bonitão que só quer saber de sexo, eles têm feito isso meio que bastante, daí uma coisa leva a outra. Não?

Não. Os sobrenaturais são pessoas com excesso de alma que quando morrem continuam a viver com seu restinho de alma na forma específica: vampiros, lobisomens e fantasmas podem parecer que estão por aí, mas em efetividade são meio mortos. Portanto incapazes de engravidar as jovena.

Acusada de adultério na cara dura, Alexia fica indignada e vaza. Só que daí perde o emprego como conselheira da rainha (que acha sobrenaturais aceitáveis mas MULHER ADÚLTERA NÃO NÉ), é expulsa da casa da mãe, descobre que tem alguém tentando matá-la e decide fugir. Ela reúne um grupo improvável de migas e vai pra Itália, onde os Templários são inimigos confessos dos sobrenaturais e podem ter pistas sobre a condição dela, já que os sem-alma são considerados armas poderosas por lá. Enquanto isso, Lorde Maccon fica entre o álcool e o choro de corno e seu amigo Professor Lyall é obrigado a resolver as coisas sozinho.

A ambientação da história continua bem legal: steampunk vitoriano misturado com urban fantasy, com direito a código de conduta muito restrito, sombrinhas necessárias, chapéus incríveis e geringonças voadoras. Os Templários já tinham sido mencionados antes e foi legal finalmente conhecê-los e até chegamos a conhecer Paris.

Os personagens continuam na mesma também, para o bem e para o mal: o grupo de migas da Alexia é divertido e todos têm personalidades distintas e memoráveis! Mas Alexia e Lorde Maccon são uns chatos. Eu entendo que precisa haver conflito na trama para as coisas andarem, mas gente. Alexia é a primeira sobrenatural na Inglaterra em ANOS. Todo mundo sabe que ela é bizarra. Lorde Maccon ter surtado faz até que sentido considerando a falta de capacidade de empatia dos macho, mas achei que arrastou demais. Podia resolver logo no começo – mas aí, a autora não teria conflito né. Se ela estivesse bem com o maridão, não teria se despencado lá pra Itália. Eu acho que a narrativa poderia ter feito escolhas menos óbvias, mas eu sou do grupo das chatas. A trama é movimentada o suficiente pra gente nem perceber esses defeitinhos (mas confesso que na cena de reunião do casal eu parei de ler porque deu aquele ‘eeeew’).

A trama enrosca um pouco no final, também, e são muitos conflitos no final que ficam um pouco sem resolução. Mas acho que no fim das contas a trilogia foi bem concluída, com o terceiro livro sendo apenas um pouco menos legal que o segundo – que é um pouco menos legal que o primeiro. Por isso, eu sinceramente não sei se vou atrás de todas as outras séries que saíram dessa. Tem uma que é sobre a filha da Alexia, que deve ser um bicho estranho, coitada, e mais outro grupo de livros que eu entendi que se passa no mesmo universo mas são outros personagens. Fiquei com um pouco de preguiça de procurar.

Caso interesse, recomendo que leiam o primeiro dessa trilogia, Soulless, que é bem legal e pode ser lido sem precisar ler todo o resto.

Astronauta?

Blameless (2010) de Gail Carriger. Série Protetorado da Sombrinha Livro 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *