Livro: Harry Potter e a Câmara Secreta

O bruxinho quer muito voltar a Hogwarts para seu segundo ano letivo, mas um elfo doméstico mala insiste em tentar impedi-lo, alegando saber que Harry encontrará um terrível perigo na escola. Infelizmente, elfos domésticos são obrigados a fazer exatamente o que seus mestres mandam, e portanto Dobby, o infeliz, não pode dizer a Harry o que é que tanto pode causar problemas na escola.
É só quando Harry chega lá (depois de alguns percalços, naturalmente) que ele e seus amigos Ron e Hermione se deparam com a lenda da câmara secreta, que supostamente esconde um horrível monstro – que aparentemente está à solta.

Contém spoilers, se é que ainda existe alguém que não leu esse livro na vida.

Quando eu era chofem, eu achava esse livro menos legal que os outros. É que na época o que existia era o livro 1, o 2 e o 3, e não se pode negar que esse é realmente menos legal que os outros dois. Foi só quando a coisa desandou e a Rowling pariu e ficou de mal do mundo e produziu O Cálice de Fogo que A Câmara Secreta ficou legal.

Não que não seja um livro bom. Muito pelo contrário. O mistério da câmara secreta é muito legal, e me lembrou um dos livros favoritos na minha infância (Estátua!). Os personagens novos – Gilderoy Lockhard sendo o favorito – são todos muito queridos, e os ataques à vida de Harry que Dobby cria para impedi-lo de chegar à escola são suficientes para que pensemos que Voldemort está tramando alguma coisa novamente.
O novo elemento no grupo de crianças é Ginny, irmã mais nova de Rony que é apaixonada pelo Harry e não consegue falar uma palavra perto dele.

O ambiente sombrio criado pela coisa toda da câmara secreta, juntamente com o Harry ouvir vozes e depois falar com as cobras, faz com que o livro seja um novo passo na história do garoto – e mais detalhes sobre o mistério da sua sobrevivência após o ataque de Voldemort.

No fim das contas, é um livro interessante, competente e uma bela adição à série cujo único defeito é o elfo doméstico Dobby, que pode ser realmente muito chatinho. Felizmente isso não chega a atrapalhar a história, e o mistério final, assim como o ‘novo’ vilão, Lucius Malfoy, deixam as coisas tão interessantes que Dobby fica para segundo plano.

Agora eu quero uma pausa para um momento ‘movie mistakes’.

Harry e Ron “seguem as aranhas” e trocam uma idéia tensa com Aragogue.
Tendo sobrevivido à conversinha, eles estão desanimados porque a aranhona-quero-muito-ser-Shelob-quando-crescer não falou nada de útil sobre a câmara secreta.
É quando Harry, pensando furiosamente, lembra da garota que morreu da primeira vez em que a câmara foi aberta e saca tudo, já que Aragogue falou que a menina havia morrido no banheiro.

Pois bem, eu voltei as páginas.
Ou o meu livro veio com defeito, ou foi lapso de tradução ou a Rowling errou feio, porque a Aragogue não fala porra nenhuma de banheiro nenhum.

Mistério do século, falaê.

UPDATE: É certamente erro de diagramação ou tradução da versão que tenho em português, porque li o original e tá lá, bonitinho, no diálogo de Aragogue com os garotos: “a garota que morreu foi encontrada em um banheiro, mas eu nunca saí do meu armário”.

Título Original: Harry Potter and the Chamber of Secrets (1998)
De J.K. Rowling (Reino Unido)
Série Harry Potter Livro 2

3 ideias sobre “Livro: Harry Potter e a Câmara Secreta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *