Livro: Belas Maldições

belas maldições
Aziraphale e Crawley são bons amigos. Afinal, ambos estão na Terra desde a criação do mundo. O primeiro como o agente do Céu, e o segundo como o agente do Inferno. Claro que eles não contaram para seus respectivos chefes sobre sua amizade (isso seria antiprofissional). Mas quando o Apocalipse finalmente chega, ambos estão demasiados apaixonados pela Terra para deixarem que tudo seja destruído.
Mesmo assim eles não podem deixar de cumprir ordens, e quando o Anticristo bebê é confiado a Crawley, ele nada mais faz do que sua obrigação, deixando a criança sob os cuidados de freiras satânicas. Só que, doze anos depois, quando tanto o anjo como o demônio vão dar uma checada no Anticristo, é a criança errada. O bebê que Crawley levou às freiras não é o mesmo que está ali na frente deles.
Perderam o Anticristo.
Ao mesmo tempo, e como estava descrito tanto no Gênesis quanto nas profecias de Agnes Nuttal, Bruxa, um grupo fora do comum (uma bruxa, um caçador de bruxas, Crawley e Aziraphale e os quatro cavaleiros do apocalipse) acaba convergindo para o mesmo ponto no interior da Inglaterra, onde um garoto bastante simpático chamado Adam que não tem noção da sua ancestralidade se diverte com seu cachorro.
O que esperar de um livro escrito em conjunto por Neil Gaiman e Terry Pratchett?
O humor inglês de Terry Pratchett, é claro, já que temos MORTE, como sempre, sem senso de humor e falando DESSE JEITO. A melancolia de Neil Gaiman, que em sua descrição dos outros três cavaleiros do Apocalipse (Fome, Guerra e Poluição – Peste se aposentou por causa da penicilina) faz com que nosso sorriso suma do rosto e apareça um ligeiro franzir de sobrancelhas.
Mas acima de tudo, o livro traz o brilhantismo de dois dos melhores autores da atualidade. Não deixem de ler.

Good Omens (1990) de Neil Gaiman e Terry Pratchett

3 ideias sobre “Livro: Belas Maldições

  1. Renata, você deixou um comentário no ‘museu’ do meu blog… mas eu não voltei com ele não; só deixei as resenhas no ar para quem quisesse ler! Rs… como assim, ‘parabéns pelo blog’? 😛

    (Aliás, obrigada pelo carinho do outro comentário também. Eu senti muito ter saído, sei que deixei algumas pessoas tristes, mas já não posso mais com esse pessoalzinho blogueiro.)

    E, respondendo sua pergunta, eu recomendaria todos do Marc Levy, mas você pode gostar mais de “Onde Você Está?” É de cortar o coração de tão lindo e tem uma resenha lá no meu ‘museu’ também. Beijos!

  2. Li esse livro anos atrás. São dois dos meus autores favoritos. Devoro os livros dos dois. Recomendadíssimo. E fez muito bem de divulgá-lo.
    Humor de primeiríssima (de T. Pratchett) e roteiro de um cara que sabe o que está fazendo (Neil Gaiman).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *