Divagação: O Processo de Desistência Pt. 2

Ou Mais Uma Razão Para Eu Ficar Tanto Tempo Sem Postar Aqui

Não é que eu não leio nada, sabe. Eu leio sempre. Afinal, faço horário de almoço quase todo dia sozinha e um livro é uma excelente companhia. Mas para ler comendo eu preciso estar com um livro bem específico nas mãos: ou um livro que eu já sei o que vai acontecer (releitura) porque aí é só pra fazer alguma coisa mesmo, ou um livro que eu estou tão curiosa pra saber o final que eu preciso ler, e aí eu nem sinto o gosto da comida. Ou seja, no fim das contas não sou tão boa assim em multi-tasking.

Mas o fato é que eu comecei a ler VÁRIOS livros ultimamente, mas não terminei nenhum (com as exceções das resenhas que vocês vêem aparecendo aos poucos por aqui). E notei que meu processo de largamento do livro se deve a alguns fatores, e acho interessante discuti-los.

1. Tédio
Se eu gostei de um dos livros da série, bem capaz de eu gostar do segundo, certo? Ou do terceiro, quarto e que tais, porque hoje em dia até as trilogias tão ficando fora de moda e o negócio é escrever vinte volumes e ganhar mais dinheiro.
E se acontece que as sequências são muito semelhantes ao primeiro livro, me dá aquele negócio de “ai, já li isso antes” e acabo largando o livro. Claro que minha apreciação da referida sequência só aumenta quanto mais tempo faz que eu li o primeiro volume. Por isso, depois de ler o primeiro “A Mediadora”, acho que dá pra passar uns seis meses pra ler o segundo (que já comecei e não passei do primeiro terço, porque achei tudo muito igual).
Outro que sofreu o mesmo fim foi o da Irmandade das Adagas Negras, porque achei que a história da irmã do Vishious tá igual a do Vishious mas com os papéis trocados e me deu preguiça.

2. Desinteresse
Quando o livro não consegue me segurar nas primeiras páginas, pimba. Esquece. Pode ser o melhor livro do mundo que vai ser difícil eu continuar. Foi assim com Guerra dos Tronos (e nesse caso me forcei a passar os primeiros capítulos por pura teimosia hipster de ter lido o livro antes da série sair), com um livro de piratas que parece maior legal que moms me emprestou – eu vou terminar, eu juro! – e também com A Companhia Negra, do Glen Cook, que fiquei séculos pra conseguir e agora não consigo continuar porque simplesmente não me prendeu, e também com Hood, que parece ser uma releitura do Robin Hood e começou mega celta e não sei se gostei.
Esse fator é o mais fácil de ser contornado por mim, e os livros que eu largo porque achei pouco interessantes no começo podem acabar sendo lidos dependendo das recomendações que eu encontro na internet.

3. Raiva
E quando o personagem faz alguma coisa idiota? Ou quando a história inteira é imbecil? Aí fico com raiva e não consigo mais ler. Eu vou terminar Dias de Sangue e Estrelas, prometo, mas com a Karou fazendo papel de idiota por mais de dois capítulos simplesmente não tenho vontade. Idem com A Missão de Senar, em que o personagem principal é de uma ingenuidade irritante. E não-sei-que-das Fadas, de alguma brasileira, que faz referências nada a ver com o mundo real e quebra a magia do mundo criado pela autora. Pra não falar de Hathor, H.I.V.E. e Crepúsculo, que não só me irritaram a ponto de largar como não faço a menor questão de tentar ler de novo.

4. Aflição
Quando o livro chega num ponto em que eu sei que TODO MUNDO VAI MORRER, me dá uma aflição absurda, eu me sinto mal e tenho chiliques. Aí eu paro de ler.
Pode não fazer muito sentido, mas outro dia li que quando a gente sabe o que vai acontecer numa cena tensa, ficamos mais tranquilos para apreciar a história. E é super o que acontece comigo. Chegou num ponto do “When True Night Falls”, quando eles chegam no novo mundo e eu tenho certeza que aquele cara tipo um cardeal vai trair todo mundo e todos eles vão morrer (o que não faz o menor sentido, já que esse é só o segundo volume da série e o terceiro é com os mesmos personagens, mas quem disse que minha aflição faz sentido), que eu não consegui mais ler. O livro tá lá, parado, e toda vez que pego de novo eu fico tão aflita que já cheguei a perder meu ponto quando leio no ônibus (tipo, perdi MUITO), e aí não é saudável.
Foi a mesma coisa com o segundo volume do A Song of Ice and Fire, e só consegui ler com mais calma depois que a série spoilou tudo mesmo e eu leio com mais tranquilidade.

Bom, esses são os principais motivos. Claro que tem falta de tempo, e cansaço, e falta de paciência, que também me impedem de ser uma leitora tão assídua quanto eu gostaria.
Mas e vocês, já largaram algum livro (mesmo que só por alguns dias) por algum motivo acima?

Uma ideia sobre “Divagação: O Processo de Desistência Pt. 2

  1. Já aconteceu comigo. Eu parei de ler o livro Incidente em Antares porque me dava raiva. O início da história era muito idiota e, mesmo sabendo que depois ia melhorar, eu tive que parar de ler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *