Filme: Branca de Neve e o Caçador

branca de neve e o caçadorDemorei pra ir ver esse filme porque apesar do Chris Hemsworth – meu novo Sam Worthington mas muito melhor – tem também a paredinha Kristen Stewart.

Então primeiro vou falar um pouco do babado que aconteceu fora do filme porque é importante.

A Kristen namorava o Cedric do Harry Potter que agora é mais conhecido como o purpurinado Edward.. Eu sempre achei que o namoro deles era de fachada, mas ai de mim se falasse isso pra alguma das loucas mega fãs da série Crepúsculo.

E aí que a Kristen foi lá e traiu o Edward com um cara bem mais velho, casado e com um monte de filhos que foi diretor dela nesse filme (quero dizer no Branca de Neve) e por acaso um fotógrafo tava lá e tirou foto deles.

Mermão, a casa caiu.

A galera caiu em cima da garota, chamando de tudo quando é nome, fazendo birra na internet e até vendendo camiseta com frases xingando a pobre.

Mas aí o estúdio foi lá e demitiu a Kristen da sequência da Branca de Neve, que terá Chris Hemsworth – apenas – como protagonista e se chamara O Caçador.Tá que ela é famosa. Tá que tinha mais é que ter dado pro cara num motelzinho discreto, e não sair nos beijos no meio da rua de óculos escuro achando que ninguém vai te reconhecer. Tá que as adolescentes são idiotas.

Então temos as teorias.

Teoria #1 – O namoro era de fachada e ela cansou.

Teoria #2 – O estúdio achou que mais um filme com a Kristen como progatonista não ia rolar, porque ela é muito ruim, e resolveu demiti-la usando essa história porque achou que ia ser menas pior falar pra ela “demitida porque é ruim!” do que “demitida porque traiu!” (?!)

Teoria #3 – (ótima, meu pai que inventou) A Kristen ficou chatiada porque o Edward beijou o lobisomem na boca (fato, rolou um selinho brincadeira durante uma premiação) e quis se vingar.

Mas aí fica a questão da mulher moderna. E do ultra conservadorismo americano.

Uma mina de 22 anos trair o namorado não pode, porque vai dar mau exemplo.
Um cara de 40, casado e com filhos, trair a esposa com uma mina de 22 anos ninguém fala nada (ouvi dizer que ele continua contratado para dirigir a sequência do filme).

Um cara de 50 que bate na mulher ganha série de TV; um negão rapper espanca a namorada e depois tatua o rosto deformado dela no pescoço e vende milhões de discos; um jovem mimado trai a esposa com uma qualquer, o caso dá em divórcio e ele continua trabalhando na TV…

Double standards é pouco pra isso.

Enfim. Fica registrada minha revolta: primeiro que o problema dela ter traído o cara é DELA e DELE. Eles que se resolvam. Segundo que por mais que ela seja má atriz, despedir porque ela traiu o namorado NÃO PODE. E terceiro que já deu de ficar culpando a mulher por tudo o que acontece, tá?

Mas agora ao filme.
Que é bem bom!

Aí que uma rainha linda e má – Charlize Theron, se divertindo loucamente – se casa com o rei pai da Branca de Neve e depois mata ele, se transformando na mais linda rainha maligna do inferno. Ela passa a governar o reino com mão de ferro, devorando a juventude das camponesas para continuar jovem e bonita. Porém, por nenhuma razão aparente, ela aprisiona a Branca de Neve no alto de uma torre.

Um dia ela resolve que vai comer o coração da sua enteada e esta foge usando capacidades ninjas de fazer inveja a qualquer artista de artes marciais ou le parkour.

Ao fugir, a Branca de Neve conta com a ajuda de animais – que aparentemente gostam dela porque ela é bonita – e se embrenha na floresta escura e maligna, onde nem os guardas da rainha ousam entrar.
Aí a rainha descobre um caçador da hora – Chris Hemsworth brincando de sotaque escocês e eu MO-RRI – que conhece a floresta e rola uma chantagem emocional pra ele trazer a Branca de Neve de volta.

Daí pra frente são várias reviravoltas, com direito a fadas, trolls, uma aldeia de mulheres mutiladas, Charlize maravilhosa, oito (!) anões e um duque vizinho que convenientemente tem um exército para se opor à rainha e um filho que é amiguinho de infância da Branca de Neve e é um arqueiro badass.Só que ele não confia na rainha e quando ele acha a Branca de Neve resolve proteger a garota em vez de entregá-la aos malvados, e os dois fogem dos malignos cavaleiros.

Então primeiro vou dizer do que eu gostei.
CHRIS HEMSWORTH!!!!!!!
E nunca vou parar de suspirar por ele nesse filme.
A Charlize, claro, que é um show à parte. Eu acho que nunca vi ela tão bonita, e o figurino dela está impecável.
As pequenas lembranças e homenagens que o filme presta à clássica obra prima da Disney, como a floresta negra e o espelho e a maçã (pra quem não sabe, a maçã estava no conto de fadas, mas não chegou a ter a importância que Disney deu a ela).
O cenário e a aventura e a ação, dignos de um belo filme de fantasia.

O terceiro do triângulo, o “príncipe” arqueiro, também dessa vez não teve sorte e não tem nenhuma personalidade (ele faz o apagadjenho que gosta da sereia em Piratas 4).E agora vou falar do que não gostei.
Oito anões, meo. Vamos listar? Olha lá.
Fora o Brian Gleeson, que faz o anão jovem, e o Johnny Harris, que veio da TV, temos APENAS –
Ian McShane (o capitão malvado de Piratas 4); Bob Hoskins (o eterno Smee em Hook, pra dizer o mínimo); Ray Wistone (são tantos filmes que nem dá pra mencionar um); Nick Frost (coleguinha do Simon Pegg); Eddie Marsan (o Lestrade de Sherlock Holmes); Toby Jones (Jogos Vorazes, Capitão America, e a voz de Dobby).
Quer dizer. É muita gente MUITO boa junta, e eles nem de longe têm o tempo em tela que merecem. Os anões têm personalidades confusas, falas engraçadinhas à la Merry e Pippin que não acrescentam graça nenhuma à trama e em geral ficam só ocupando espaço. Um desperdício imenso.

Aí tem o problemão em forma de Kristen. Vamos todos combinar que ela não sabe atuar. E aí além disso tem o figurino triste que faz ela ficar parecendo estar usando calça jeans. E aí tem o fato de que… mas uma imagem fala mais do que mil palavras:

comics-mirror-kristen-stewart-films-200500

E aí tem a coisa da Branca de Neve com armadura.

Fica complicado levar a sério um filme com esse tipo de premissa.
E aí também tem o roteiro, que por falta de carisma de Kristen sofre muito: como acreditar que uma chatenha dessas consegue liderar um exército que vai morrer tentando invadir o castelo da rainha mais má que os comunistas? Mas enfim. Desde o momento que eu vi que esse filme ia ser produzido com essa atriz, eu sabia que ia dar problema.

Gente.
Eu sei, eu SEI que o pessoal quer vender filme pra feminista e pra isso precisa colocar mulheres fortes como protagonistas, mas vamos contar (de novo): sabe o que a Branca de Neve faz, sozinha, sem ajuda de NENHUM HOMEM?
Ela foge do castelo da rainha.
Só.

Na floresta o caçador ajuda ela. Pra fugir da aldeia em chamas o caçador ajuda ela. Depois vêm mais homens, os anões e o amiguinho arqueiro, pra ajudar ela. Quando ela come a porra da maçã (conta como um beijo lésbico??! acho que não…), é um homem que ajuda ela.

Então, que que adianta colocar a mina numa full plate e fazer ela lutar se a personagem inteira e a história inteira não contribuem para isso fazer sentido?

Tá, existe uma mini crítica bem escondida ao culto excessivo da beleza, mas no final tudo vai por água abaixo porque a rainha é destruida “pela mais bela”: a beleza sempre ganha. (mais um momento em que o espectador fica: “jura que ela é a mais bonita…?”)

Para quem gosta de um bom filme de aventura fantástica podreira, esse é EXCELENTE. Se não fosse o fato de que ele se leva a sério demais (e a presença da Kristen é outro problema – por ser a atriz mais bem paga de Hollywood quando da feitura do filme, atraiu uma renca de gente que faz filmão e triplicou o quanto o filme se acha), seria uma boa diversão descompromissada.

Branca de Neve e o Caçador (Snow White and the Hustsman) – 2012
de Rupert Sanders
com Kristen Stewart, Chris Hemsworth, Charlize Theron, Ian McShane, Bob Hoskins, Ray Wistone, Nick Frost, Brian Gleeson

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *