Livro: Assassinato na Casa do Pastor

 
Esse é um livro da Agatha Christie que eu gosto muito e o primeiro motivo é que o narrador é o Sr. Clemens, o pastor de St. Mary Mead (a cidadezinha pacata no interior da Inglaterra que parece sempre ser o local de algum crime hororroso).
Seu senso de humor permeia toda a narrativa, e seu ponto de vista ajuda a manter o mistério: como vemos toda a história através dos olhos do pastor, é ainda mais difícil tentar adivinhar quem matou. Além disso, uma das melhores personagens do livro é sua jovem esposa Griselda, que vive dando gafes com os paroquianos.

O segundo motivo pra ser um dos meus livros favoritos é a detetive: a senhora intrometida, fofoqueira e simpática Miss Marple.

Logo no início da história somos apresentados ao terrível Coronel Potheroe, um velho chato, implicante, mal educado, preconceituoso e, ainda por cima, surdo. Aí ele morre.
Quer dizer, é morto com um tiro, justo quando ele estava no escritório do pastor esperando pra vê-lo sobre um assunto complicado na igreja – alguém está roubando o dinheiro das doações. A idéia original do inspetor de polícia é que o crime tenha acontecido por volta das 18h20 por causa do relógio quebrado no chão – jogado quando o morto caiu sobre a escrivaninha – o que concorda com o que diz o médico legista. Além disso, o coronel estava escrevendo uma conveniente cartinha quando morreu, datada 18h20 e dizendo que ele não podia mais esperar pelo pastor e ia embora. 

Mas  Miss Marple aponta que é bem estranho o coronel ter escrito, às 18h20, que não podia mais esperar, sendo que a empregada do pastor havia avisado que o patrão ia se atrasar e chegaria só as 18h30 e o coronel havia concordado em esperá-lo. E o pastor logo comenta que o relógio quebrado era sempre mantido 15 minutos atrasado, fazendo assim com que a morte tivesse ocorrido perto das seis e meia… E aí tanto a jovem esposa do coronel quanto o bonitão pintor que estava tendo um caso com ela confessam o crime de forma bastante inverossímil, fazendo com que todos fiquem cada vez mais confusos – e cada vez mais indo conversar com Miss Marple, a senhora mais fofoqueira da aldeia, para ver o que ela acha daquilo tudo.

Afinal, além da esposa e do amante, outros suspeitos se apresentam: a filha do coronel herdou toda a fortuna; o professor de arqueologia que estava escavando na propriedade do coronel não é o que parece; a secretária bonitona do professor estará do lado dele ou em conluio com o coronel? E o ajudante do pastor parece cada vez mais nervoso e inseguro, e aí descobrem que um dos ladrões da aldeia que tinha sido preso pelo coronel é namorado da empregada do pastor. E também tem a senhora bonita e solitária que se mudou recentemente para a aldeia e ninguém sabe da onde veio… e o próprio médico, Dr. Haydock, que insiste em dizer que às vezes assassinato é justificável…

Miss Marple usa seu amor pelas flores e pelos pássaros para saber tudo o que acontece na aldeia (ela se agacha no jardim quando passa alguém conversando e que ela não quer que saiba que ela está por perto e usa seu binóculo de olhar pássaros pra ver as pessoas de longe) e logo faz deduções excelentes para descobrir quem foi o assassino.

A ambientação do ‘entre-guerras’ na minha opinião é a melhor fase da autora; junta isso com a trama impecável, os personagens muito bem construídos – e absolutamente todos com motivos para querer ver o cara morto (adoro essa parte) – e a Miss Marple sendo incrível, e temos um dos melhores e mais divertidos livros da Agatha Christie. Recomendo!

Título Original: The Murder At the Vicarage (1930)
de Agatha Christie (Reino Unido)

3 ideias sobre “Livro: Assassinato na Casa do Pastor

  1. Olá,
    Quando vi Rex Stout me lembrei que tenho vários na fila, mas, na sequência você colocou a postagem sobre Agatha Christie, o que me deu uma tremenda vontade de reler!!
    Um Feliz 2010 para você, cheio de realizações e boas férias. Estarei aguardando a sua volta ao blog!!
    Um abraço

  2. Os livros de Agatha Christie são muito bons de ler e todos os contos, por assim dizer, prendem o leitor. Leio a série Sherloch Holmes, que também é boa, mas a Agatha tem livros melhores, na minha opinião. Ambos devem ser lidos por aqueles fanáticos em romances policiais e devem compor aqueles de cabiceira. Não recomendo ler tudo de uma vez, leia um pouco por noite, vale a pena!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *