Livro: Amante Liberto

Vishious se apaixona por uma médica humana que o salva da morte. Mas o amor dos dois é impedido por mais do que a diferença entre as raças. Além desse ser um guerreiro vampiro da Irmandade da Adaga Negra, constantemente em guerra contra mortos-vivos malignos que querem exterminar os vampiros da face da terra, ele tem visões geralmente desesperadoras sobre o futuro, ele acaba de descobrir uma notícia aterradora sobre sua ancestralidade, ele é um sadomasoquista e, como se não bastasse, é convocado pela Virgem-Escriba – deusa dos vampiros – para ser o próximo elo na continuidade da espécie.
Ou seja, ele vai ter que ser o pai da próxima geração de guerreiros. E para isso vai ter de se deitar com todas as Escolhidas da Virgem, um grupo de vinte e tantas vampiras que vivem à sua espera.

É engraçado que esse livro é sem dúvida o pior da série até agora, mas tem o protagonista que é um dos meus brothers favoritos.
Vishious é um cara complicado – bissexual, semi-castrado, vidente, adepto de BDSM, destruidor de energia negativa: você pode fazer uma lista de porque esse guerreiro vampiro não é uma pessoa tranquila de se lidar.

A história segue as reviravoltas pelas quais Vishious passa quando se apaixona pela Dra. Jane, uma médica humana.

O problema não é a Dra. Jane. Eu sei que tem muita mulher que chia quando o protagonista favorito arranja uma namoradinha – por exemplo as loucas que xingam a Ginny por aí – mas eu não sou dessas. Eu acho que um herói forte merece um par romântico à altura, e a Dra. Jane é uma excelente parceira para Vishious: inteligente, de personalidade forte, guerreira etc etc.

E mesmo que eu tenha achado as primeiras cenas de “romance” entre os dois mega hot – MEGA HOT – eu achei a coisa toda bastante inverossímil. Tudo bem o V querer que levassem a Jane com ele, afinal o “animal interior” dele estava gritando por ela. E tudo bem o Wrath concordar, já que V é praticamente indispensável. Mas sabe quando dá a impressão de que poderia tudo ter sido mais bem bolado? Não é como se a autora não tivesse capacidade.

Eu acho que é porque eu gosto tanto do V que meio que EXIGIA que esse livro fosse o melhor de todos, e qualquer falha pequena me irritou muito.

Além disso, a Jane entrou tão rápido na bizarrice dele… eu não sei vocês, mas não é porque estou completamente apaixonada por um cara que vou começar a curtir BDSM só porque ele gosta, sabe?

Daí tem o problema do Butch. Eu super achava que os dois deveriam ficar juntos, e até a autora parece que achava isso (tipo que ela não quis arriscar perder leitores tão cedo e resolveu esperar até o décimo primeiro volume da série pra começar a falar de romance homo), e o romance entre Butch e Vishious tem razão de ser, é bem construído e não tem como não torcer pra que eles fiquem juntos. Daí vem essa Jane do nada e quer tomar o lugar do Butch? Pô. E daí a autora tem que vir com essa história de “instinto” dos vampiros pra explicar esse “amor à primeira vista”. Me irritou.

E, claro, aí entra o maior problema de todos.

Contém spoilers.

Cêjura que ela virou… um fantasma? Que se materializa na hora que quiser e pode fazer sexo e pode curar as pessoas pra sempre? Que porra é essa? Eu acho que se era pra chutar o balde de uma vez, que ela fosse morta pela Directrix (ou sei lá o nome da louca) pra se vingar do V, porque aí ia ser culpa da Virgem e ela ia se sentir na obrigação de ajudar o filho. Mas ela ser morta por um *lesser* e depois a Virgem simplesmente transformá-la num fantasma foi demais da conta. Foi tipo a Mary mas mil vezes pior. E ainda teve aquela cena do John choramingando que “se a Jane pode, porque a Wellsie não pode” e eu super concordo. Tá que a Virgem Escriba é super parcial, mas ela tá virando um artifício de narrativa meio batido: a mocinha quase morre e aparece a Virgem toda poderosa pra salvá-la. Me surpreende que os *brothers* simplesmente não já tomem isso como certo.

Fim dos spoilers.

Então, na verdade, não chega a ser um livro ruim. É só o pior da série até agora, e considerando a espectativa que o Vishious tinha comigo, acabou sendo pior que a encomenda. E como se não bastassem os furos na história, ainda tem o final lixão.
É tão triste isso. O V merecia um livro tão melhor…

Título Original: Lover Unbound (2007)
de J.R. Ward
Série Irmandade da Adaga Negra Livro 5

2 ideias sobre “Livro: Amante Liberto

  1. Concordo com vc. O V merecia um livro melhor, e tbm fiquei “bege” com o final da Jane. Achei ridículo, na verdade.
    Mas se prepare… tem coisa pior ainda. Pelo menos para mim, o livro do Phury foi o mais fraco. Um verdadeiro porre! mas teve gente que curtiu… Vai de gosto. kkk
    Bjo

  2. Eu tenho sentimentos bem contraditórios sobre esse livro… por um lado, amei a forma narrativa! Passar pela historia do Jhon e do Phury deixou tudo mais interessante, falar mais do Darius que parecia completamente esquecido até então… foi ótimo. Por outro lado…. eita historia preguiçosa! Gente, a Ward andou fumando o baseado do Phury, só pode! Pq só com muita fumaça vermelha na cabeça pra ela pensar naquele final horrendo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *