Livro: Amante Desperto

A “história de amor” que acontece nesse livro começou no livro anterior da série (Amante Eterno): Bella, uma vampira aristocrata, sentiu uma incrível atração por Zsadist, o guerreiro mais feroz da Irmandade da Adaga Negra. Ela o conhece quando vai levar o jovem John até o quartel general da Irmandade, porém, incapaz de suportar o toque de outra pessoa, Zsadist a manda embora violentamente.

Alguns dias depois, Bella é raptada por um lesser. Agora obcecado por ela, Zsadist jura que vai encontrá-la ou, se o pior acontecer, vingá-la.

Bella é aprisionada por um lesser mais problemático do que a média desses seres doentes que “vivem” para eliminar os vampiros da face da terra. O lesser em questão confundiu um pouco as coisas e entra numa relação doentia de possessão, paixão e ódio com Bella, que por esse motivo não é morta (em vez disso, ela é espancada e tem o nome do lesser tatuado na pele dela com ponta de faca, pra ficar mais agradável).

Quando Zsadist finalmente consegue resgatá-la, Bella é um empilhado de traumas emocionais e físicos, e não consegue encarar a volta à sociedade preconceituosa e fútil dos aristocratas vampiros. Ela pede aos membros da Irmandade se ela pode se recuperar entre eles, em vez de voltar pra casa.

Enquanto ela se recupera, sente mais uma vez a atração por Zsadist, agora por motivos diferentes: ela sabe que ele é o único ali que já passou por alguma coisa remotamente parecida com o que ela passou, e por isso seria capaz de entendê-la.

Ao mesmo tempo, Zsadist luta consigo mesmo: sente-se atraído por Bella, lógicamente, mas os anos que passou como escravo sexual de uma aristocrata maligna o deixaram permanentemente perturbado (a autora relata algumas das memórias dele e elas não são bonitas) – ele não consegue suportar o toque de outro, a visão de si mesmo e a idéia de que, ao ficar com Bella, poderá fazer com que ela “se contamine”.

Esse livro não é um livro fácil. Enquanto o “romance” dos dois vai evoluindo, percebi que a jornada dos protagonistas não era em direção ao feliz pra sempre do amor perfeito, mas em vez disso era uma jornada de auto conhecimento auxiliada pela presença de uma pessoa de confiança. Ambos passaram por situações horrendas em seus respectivos passados, e ambos precisam se recuperar. Enquanto Zsadist teve mais tempo para se recuperar, ele também sofreu por mais tempo, e foi aprisionado quando era pouco mais do que um garoto: suas memórias são um tanto infantis e pouco esclarecidas, o que me deixou ainda mais abismada com o abuso pelo qual ele passou.
Por mais que o livro tenha cenas picantes – MESMO, OK? Sem meias palavras, sem amenização de termos, é pornô de verdade – o tema do livro não é esse, e o drama reina.

Não deixa de ser um adendo excelente à série e mais uma prova da qualidade da escrita da autora. Com personagens incríveis e uma história de aventura muito bem construída, esse livro não deixa dever nada aos outros dois da série.

Título Original: Lover Awakened (2006)
de J. R. Ward (EUA)
Série Irmandade da Adaga Negra Livro 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *