Adaptação: Sherlock Holmes

O Livro
Sherlock Holmes é o detetive mais famoso da história da literatura, e mesmo assim poucos leram suas histórias. No entanto ele aparece em quatro romances e mais de cinquenta contos, além de ter aparecido em inúmeros filmes e outras adaptações literárias.
As tramas são complexas mas mantém o mesmo esquema: Holmes é chamado por alguém para resolver casos dificílimos enquanto seu fiel companheiro Dr. Watson vai junto e depois escreve as aventuras dos dois.
As histórias são divertidíssimas e mantém um nível muito bom com pouquíssimas excessões, e os contos, que podem ser achados em compilações ou em volume único, são ainda melhores que os livros (cujo meu favorito é sem dúvida O Cão dos Baskervilles.

O Filme
Sherlock Holmes – 2009
de Guy Richie, com Robert Downey Jr, Jude Law, Rachel McAdams, Mark Strong.

Após dezenas de adaptações, Hollywood resolveu dar um “reboot” no personagem e começar do zero com um time muito competente: Guy Richie, Robert Downey Jr. e Jude Law.
Deu certo.
A Londres meio steampunk, as deduções relâmpago de Holmes, a química entre a dupla e a ação da narrativa transformaram Sherlock Holmes em um dos melhores filmes da temporada.
O charme feminino fica a cargo de Irene Adler, antiga paixão de Holmes, e o suspense fica com o personagem de Mark Strong (que faz um excelente vilão, não acham?), Lord Blackwood, um cara cheio de ciência estranha que quer dominar o mundo.
Downey Jr, em plena ascenção após Homem de Ferro, faz um Holmes excêntrigo e adorável, e Jude Law faz um Watson gatérrimo e cheio de energia.
Um excelente filme de ação.

Filme x Livro
Eu esperava tão menos que acho que gostei do filme pela falta de expectativa. Mas na verdade não tinha como eu não gostar do filme.
Essas considerações deixadas de fora, temos que considerar que o personagem passou por uma re-criação, e que se algo se mantém de sua personalidade excêntrica temos que agradecer pelas migalhas que Hollywood nos dá.
Claro que Irene Adler nunca foi amante de Holmes – Holmes nunca teve amantes. Mas do jeito que foi posto no filme não ficou ruim.
Claro que Watson nunca lutou artes marciais. Mas ele foi do exército, e era sempre ele que andava por aí com uma arma para proteger o amigo. Só porque a narrativa de Doyle não incluía muita ação, não sinifica que ela não estivesse lá… E essas coisas. O roteiro do filme adiciona muitas coisas que nunca existiriam nos livros, mas também adiciona muitas coisas que eu até conseguia imaginar acontecendo nos bastidores.
A esposa de Watson ter bastante tempo de tela foi muito bom, ela mal aparece nos livros, mas quando aparece dá pra ver que tem uma personalidade forte.
Watson, que foi transformado num velho bocó nas primeiras adaptações para o cinema, ao longo das histórias conseguia fazer deduções muito boas baseando-se nos métodos de Holmes, e no filme isso aparece: ele acompanha muitas das explicações de Holmes e fica claro que ele poderia ter chegado nelas sozinho.
Downey Jr. focou-se mais na personalidade estranha de Holmes – que nos livros toca violino, usa cocaína e tem depressão profunda. Ele ficou um pouco mais cômico do que o personagem dos livros, claro, mas seu cinismo e cara de pau para mim deixaram o personagem mais adorável. O Holmes dos livros é tudo menos adorável.
No fim das contas, e apesar de tudo, eu gostei muito do filme. Não é uma adaptação fiel dos livros, mas Holmes nunca recebeu isso, e achei que o mais importante é que o filme não estragou o personagem. Tudo o que existe nos livros está lá, um pouquinho adaptado para a geração de hoje, mas está lá. E o que importa é isso. As motivações do personagem estão lá, e o que foi acrescentado não machucou nem sua reputação nem fez apitar minha revolta.
O filme e os livros são diferentes, mas ambos são  uma delícia de entretenimento e ambos tem o gostinho da Inglaterra da época misturado com bons roteiros policiais.

3 ideias sobre “Adaptação: Sherlock Holmes

  1. Dica:

    assista o seriado.

    São só duas temporadas de 3 episódios cada (vou ignorar o fato que cada episódio tem quase uma hora e meia)…

    Mas é uma releitura muito legal

  2. E sem falar na delícia que é ver Jude Law, em qualquer papel.

    =P

    Eu também esperava muito menos do filme e gostei bastante. Eu achei o Holmes do filme mais realista, mais “vivo”, menos heroico, mais gente.

  3. Não consegui assistir o filme inteiro… Foi quase insuportável para mim ver uma cena em que Holmes, jantando com Watson e sua noiva, a trata sem o menor cavalheirismo, traço que eu particularmente notei ao ler suas aventuras. Mas pelos comentários que ouvi o filme parece ser bom…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *