Adaptação: Jogos Vorazes

O Filme

Vou falar do filme primeiro porque dessa vez comecei por aqui. Sabe, quando você lê um livro de que gosta muito e depois vai ver a adaptação para o cinema, uma boa parte da magia da tela grande se perde porque você fica sempre esperando a próxima cena ser igual à do livro e quando não é você fica desapontada e o filme fica menos legal.
E quando eu vi que não ia ter tempo de ler o livro mesmo – nem tinha tido tanto interesse assim na história – acabei que fui ver o filme porque demora menos, né.

E não é que me apaixonei?
Me apaixonei pelo mundo futurista-distópico-perturbador. Me apaixonei pela Katniss/Jennifer. Me apaixonei por toda a proposta de jogos mortais televisionados.
E corri para ler o livro.

O Livro

Um dos maiores fenômenos de vendas recentes, o livro foi aclamado por muitos, ganhou continuações controversas e foi febre nos blogues “literários” por muitos meses. Eu falo dele aqui, e das continuações aqui e aqui. Eu gostei do livro, de verdade. Achei que a narrativa em primeira pessoa acabou que atrapalhou um pouco – vide abaixo – e ambientação livro menos impressionante que a do filme. Mas nunca vou saber se isso foi porque o livro é mixuruca ou porque vi o filme antes e na comparação o livro perde. 

Filme x Livro

A primeira coisa que eu senti no livro foi que a narradora passava por cima de coisas que eu queria saber. Claro que teve alguns momentos no livro que eu pensei, “nossa, que simples, o filme podia ter feito isso e não ia ficar tão bobo”, mas em geral eu achei a narrativa em primeira pessoa com grandes gaps na ação (“isso aconteceu depois que aquilo aconteceu”, sendo que nenhuma das ações foi descrita além disso) acelerou o livro mas me deixou querendo saber mais.

A Katniss do livro é uma personagem meio sem sal. Meio sem emoções. A princípio eu achei que isso fosse porque a autora quis dar uma pegada meio “numbed” pra garota, que estava passando por tantas coisas.
Mas as ações dela diziam muitas coisas. Então eu achei complicado essa história de narrativa em primeira pessoa em que a personagem faz muito mas pensa ou reflete pouco.
Eu estava impressionada com a interpretação da Jennifer Lawrence, então foi difícil pra mim me desvencilhar da imagem dela, e pode ser que minha opiniao tenha sido muito influenciada devido a isso.

Mas em geral achei o filme melhor do que o livro apenas porque achei a Katniss do filme mais expressiva.
O que não significa em absoluto que eu não tenha gostado do livro: eu gostei muito.
As continuações é que me irritaram, e estou mutio curiosa para saber como os próximos filmes vão ficar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *