Livro: A Caixa Vermelha

Faz uma semana que uma das modelos de uma grande e famosa loja de roupas foi envenenada com um bombom. Ninguém sabe se os doces eram destinados a ela ou a outra pessoa; ninguém sabe quem colocou o veneno nos doces; nada foi descoberto pela polícia.

Llewellyng Frost, desesperado por vários motivos, apela para Nero Wolfe, o grande detetive, que se recusa terminantemente a sair de casa a negócios. Archie Goodwin, o ajudante de Wolfe, sugere um estratagema por baixo do pano a Frost para tirar Wolfe de casa e levá-lo até a empresa onde ocorreu o assassinato.

Wolfe aceita ir, de má vontade, e lá descobre que Helen Frost, prima de Llewellyng, sabe mais sobre o caso do que está revelando. Desesperado, Frost agora quer que Wolfe desista do caso, pois sua prima não pode ter nada a ver com a confusão.

Nesse vai e volta, Boden McNair, dono da empresa, vai até Wolfe dizendo que vai deixar uma caixa vermelha com vários documentos para o detetive em testamento, e antes que Wolfe possa dizer que não vai pegar caixa nenhuma (e antes que McNair possa dizer onde está a tal caixa) Mc Nair toma uma aspirina com cianeto de potássio dentro e morre no escritório de Wolfe.
Aí a confusão está armada, como podem imaginar. Primeiro porque Helen Frost está no centro do caso e sua família não quer deixá-la sair de casa. Segundo porque a polícia não acredita que Frost não tenha dito a Wolfe a localização da caixa vermelha. E terceiro porque logo outra pessoa morre e ninguém está mais perto da verdade.

Então vamos lá. Não é que não gostei do livro. Eu gostei. Gostei da família Frost, e da relação deles com Wolfe. Gostei da trama em si e até gostei do assassino. Mas vamos combinar que esse começo não está com nada.

Eu sei que esse foi um dos primeiros livros do Wolfe e que foi uma novidade para os leitores o fato dele sair de casa para resolver um caso. Mas eu, que já li quase todos os livros, achei a tal lista com as assinaturas um motivo bem idiota para o Wolfe resolver aceitar. Mas bem, sabemos que ele é excêntrico.

Na correria para tentar encontrar a caixa vermelha e descobrir quem matou, Cramer, o inspetor de polícia, está cada vez com menos paciência com Wolfe e isso rende boas cenas divertidas.
Mas aí temos o tipo de final que eu não gosto e o livro perde metade da graça.
Lembro de já ter falado do “tipo de final que eu não gosto” nos livros do Nero Wolfe. Pois bem, aos interessados, eu falo que tipo de final que é.

SPOILER

Quando Wolfe descobre o assassino e não tem provas para mandá-lo pra cadeia, ele induz a pessoa a se matar. E pronto. O cara se mata e o livro acaba. Além de ser um fim estúpido, me parece uma solução fácil tanto para o personagem quanto para o autor.

FIM DO SPOILER

Título Original: The Red Box (1937)
De Rex Stout (EUA)
Coleção Nero Wolfe Nº 4

Uma ideia sobre “Livro: A Caixa Vermelha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *